• thalitaagborges

Rota do Românico - Norte de Portugal

Atualizado: há 4 dias






Em 19 de maio de 2019, pedalei pela Rota do Românico no Norte de Portugal. A Rota do Românico é um projeto que visa preservar uma rica região em patrimônio cultural e imaterial de origem românica, como mosteiros, igrejas, capelas, memoriais, castelos, torres e pontes. Eu adoro a ideia de preservar os locais através da bicicleta. Além da bicicleta ser um meio de transporte de pouco impacto ambiental, ela te proporciona chegar até lugares que você não descobriria de carro ou até mesmo à pé, devido, respectivamente, à dificuldade de acesso no terreno ou a distância e tempo que você levaria percorrendo o mesmo percurso caminhando.


Como eu não tenho GPS, o acesso a determinados locais fica limitado para mim a trilhas marcadas e ao conhecimento de ciclistas locais. Foi assim que tive a oportunidade de conhecer o pessoal do Kunalama. Inicialmente, eu achei que eles fossem um grupo de amigos que pedalam aos domingos, por isso eu mandei um email perguntando a eles se eu poderia me juntar a eles. Só que depois eu fui descobrir que eles são, na verdade, uma organização sem fins lucrativos que tem um papel importantíssimo na preservação da Rota do Românico. Eles cuidam dos trilhos e organizam passeios ciclísticos na rota com o objetivo de ajudar a preservar o local.


Nessa oportunidade, eles me acolheram sem nenhum custo, mas deixo aqui a indicação da importância de quem se interessar em ajudar financeiramente com o projeto deles, que é lindo e de muita importância. O patrimônio histórico e cultural da rota é riquíssimo e vale a pena a cada minuto.



Como eu estava morando na cidade de Braga, para ir até eles eu precisei pegar um trem ou comboio como chamam em Portugal. A ida com a bike foi tranquila, eles deixam um local no final do vagão para você poder transportar a bicicleta, mas ainda assim, não espere ser bem recebido, se for um horário de pico eles têm o direito de recusar que você viaje com a bicicleta.


Eu escolhi ir em um domingo, peguei o trem das 7 horas da manhã e estava bem tranquilo. O meu destino foi a estação de Cete que fica na região entre o Douro e o Minho, no norte de Portugal. A viagem durou cerca de 1 hora e meia e o custo da viagem foi € 7,65. A cidade de Braga não possui uma linha direta até Cete. Para chegar até lá eu tive que pegar a linha que vai de Braga até a Estação de São Bento no Porto e descer em Ermesinde. Em Ermesinde, eu desci e peguei uma ligação que foi direto à Cete, onde o pessoal do Kunalama estava me aguardando.


Eu cheguei na estação de Cete por volta das 9 horas da manha e fui muito bem recepcionada pelo Bruno, o Sérgio e o Mário. Eu tive direito à plaquinha VIP e barrinhas de cereais. Depois de conhecer mais a história do pessoal fomos direto para o primeiro ponto da rota, o Mosteiro de São Pedro de Cête.

O Mosteiro fica bem próximo à estação e possui uma construção arquitetônica românica muito linda. Um vitral em forma de rosácea lindo. Por algumas partes o caminho é sinalizado, mas não é ele todo. É necessário ir com os guias locais ou também acessar a rota online que eles disponibilizam no site (deixo aqui a referência no final). Eu recomendo muito o pessoal do Kunalama se tiverem a oportunidade, além deles serem super receptivos eles conhecem muito acerca da história dos monumentos Eu tive uma verdadeira aula de história e de arquitetura.. Além do mais, qual a melhor forma de conhecer a cultura local e ter informações privilegiadas sobre os melhores bares e restaurantes?


Eu lembro de depois de termos feito uma subida até a Igreja de São Miguel e depois chegado na vista incrível da Capela da Nossa Senhora da Cividade descemos até uma tasquinha que fica Entre os Rios e tomamos uma limonada super gelada que ficará para a história. Dizem que quando estamos pedalando a comida e a bebida fica com um sabor muito melhor, mas aquela era realmente excepcional. Eles usam muito o limão siciliano, que tem menos acidez e é bem floral.


Ainda, um ponto positivo de ir com os locais é descobrir os produtos regionais. Paramos em uma banquinha, onde havia uma senhora vendendo algumas quitandas, eu olhei e achei tudo com a cara muito boa, mas eu só soube que as "cavaquinhas", um tipo de bolachinha de gemas de ovos e bem fofinha era um produto daquela região indo com eles. Além disso, eles fazem passeios à escolha dos ciclistas, se você quiser conhecer uma vinícola eles também podem agendar. A região de Penafiel, fica entre o Douro e o Minho, onde encontramos o vinho verde. Uma ótima pedida para uma pós-pedalada por ser leve e refrescante. Mas cuidado ciclistas!!!! Por ser leve não quer dizer que não tenha graduação. Ainda mais se for um "caseirinho" como eles chamam. Pode ser que você vá encontrar vinhos verdes com até 15 % de graduação (ou mais). É bom usar a moderação se quiser conseguir voltar para casa ou optar pela limonada mesmo (rsrsr).


Na Rota do Românico passamos por muitas pontes românicas lindaas. Eu descobri uma verdadeira paixão por essas pontes em Portugal. Passar por elas é reviver algo muito bom, que não sei explicar. Só de imaginar que foram construídas há seculos e persistem lá, é incrível de ver.


Nessa visita andamos 80 kilometros e passamos por Penafiel, Cete, Marco de Canaveses, Entre-os-Rios e várias outras VILAS.


Nesta oportunidade, não fizemos toda a extensão da rota que possui mais de 50 monumentos históricos, como por exemplo, o Mosteiro de Santa Maria de Pombeiros, em Felgueiras. O mosteiro além de ter uma beleza e riqueza em detalhes arquitetônicos, também está ligada a uma antiga lenda que tem um significado muito importante para os portugueses. Segundo a lenda, a igreja teria sido mandada construir por um milagre que teria curado D. Afonso Henriques de uma enfermidade grave. D. Afonso Henriques veio a se tornar o primeiro rei de Portugal, após uma famosa batalha, o Cerco de Guimarães e a Batalha de Mamede, que tornou definitiva a separação política entre a Galícia e aquilo que viria a ser Portugal.


Por essas e outras que super recomendo fazerem a Rota do Românico. Com certeza é um lugar que deixou memórias de lugares lindos e muito conhecimento. Espero ter a oportunidade de voltar e também de reencontrar o pessoal do Kunalama.



REFERÊNCIAS


Para saber mais sobre o projeto do KUNALAMA: https://kunalama.com/


Tasquinha que fomos Entre-os-Rios - https://pt-pt.facebook.com/tasquinhatioacacio


Site oficial da Rota do Romanico: https://www.rotadoromanico.com/pt/


Lugares que visitei:





13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo